Atualmente, a presença na nuvem é sinônimo de flexibilidade, economia, sustentabilidade e também segurança. Com o crescente número de organizações que confiam no cloud, a migração dos processos já é considerada um caminho inevitável. Os principais benefícios da migração para a nuvem estão na redução de custos, no menor investimento com infraestrutura, na redução do consumo de energia e no aumento da capacidade de armazenamento.

No entanto, o processo de migração também envolve riscos, normalmente relacionados com a continuidade dos negócios e com o sigilo das informações. A comunicação com o servidor pode ficar indisponível e resultar em uma parada na operação. Além disso, o aumento das migrações para a nuvem atrai a atenção de cibercriminosos e dos ataques ransomware, com a interrupção do acesso à nuvem para pedir o resgate das informações.

A decisão de migrar processos para a nuvem deve vir acompanhada de um planejamento que considere fatores técnicos e de segurança e que mostre os impactos que a migração pode trazer para a organização.

Assim, para que a implementação seja feita da forma mais eficaz possível e com segurança, algumas ações são necessárias:

- Faça a migração de forma gradual: a empresa deve evitar migrar todos os serviços de TIC de uma só vez e priorizar a migração dos sistemas que já são naturalmente externos à organização, como por exemplo, os sistemas acessados por representantes comerciais, que trabalham fora da empresa. É importante manter internamente alguns processos e informações de acesso exclusivo aos colaboradores internos.

- Leve em conta o backup: na hora de escolher o servidor de nuvem, é fundamental avaliar as soluções de backup oferecidas, para que todos os processos funcionem de forma dinâmica. Também é interessante solicitar a criptografia do processo para garantir maior segurança dos dados.

- Faça uma análise de risco: antes de iniciar a migração é preciso fazer um levantamento dos requisitos de negócio e analisar os riscos e impactos envolvidos, em caso de uma indisponibilidade da comunicação com o provedor de nuvem e com um eventual vazamento das informações.

- Realize auditorias periódicas: a realização de auditorias com o provedor tem com objetivo garantir que sejam cumpridos todos os requisitos quanto à segurança da informação. A organização pode solicitar ao provedor um relatório de Análise de Riscos e Política de Segurança da Informação, juntamente com auditorias independentes em seus ambientes.